igreja presbiteriana

A IPU

Quem Somos: De Atibaia - SP aos dias atuais

A Igreja Presbiteriana Unida do Brasil nasceu num encontro de pastores e igrejas que na década de setenta, em plena ditadura militar no país, também sofreram perseguição por não se calarem frente aos desmandos tanto dos governantes quanto da liderança da antiga denominação presbiteriana a que pertenciam. E naquele encontro em Atibaia, SP, no dia 10 de setembro de 1978, pastores e lideranças de igrejas perseguidas de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo puderam, à semelhança do Rev. Martin Luther King, expressar em palavras: "Eu tenho um sonho..."

Sonho de uma Igreja Reformada, sempre se reformando, que não fica parada no tempo, mas que tem coragem de mudar, sempre para melhor servir a Deus e ao próximo.

Sonho de uma Igreja que valoriza o sacerdócio universal de todos os crentes, abrindo espaço para a participação efetiva de mulheres e jovens nos ministérios ordenados da Igreja.

Sonho de uma Igreja solidária, sensível às necessidades das pessoas oprimidas e marginalizadas pela sociedade.

Sonho de uma Igreja ecumênica, aberta ao diálogo com outras denominações, lembrando que "Há um só Senhor, uma só fé e um só batismo. E há somente um Deus e Pai de todos, que é o Senhor de todos, que age por meio de todos e está em todos" ( Efésios 4:5-6).

Sonho de uma Igreja democrática, onde a representatividade das igrejas é valorizada na composição do Conselho Coordenador, onde as ações são decididas em colegiado.

E em 08 de julho de 1983 o que era Federação Nacional de Igrejas Presbiterianas (FENIP) transformou-se em Igreja Presbiteriana Unida do Brasil (IPU), cujos fins são:

a. Proclamar as Boas Novas em Jesus Cristo, ao indivíduo e à sociedade;

b. Celebrar o culto a Deus Pai, Filho e Espírito Santo, em espírito e em verdade;

c. Ministrar os sacramentos do batismo e eucaristia;

d. Preparar, através do ensino e da doutrina, os seus membros para a sua missão no mundo;

e. Promover a unidade e a comunhão de todos os cristãos;

f. Desenvolver e participar de ação concreta visando a justiça, a paz, a promoção do ser humano e da vida;

(Princípios de Fé e Ordem, artigo 3º)

 

 

UMA NOVA LOGOMARCA PARA A IPU

Desde a sua 56ª reunião (em 29.11.92), o Conselho Coordenador da IPU (ver a página 4 do Traço de União nº 50, de 11.12.92) vem examinando sugestões sobre a "presbiterianização" da logomarca da IPU. Em sua última reunião de 23.05.93, o Conselho Coordenador aprovou a proposta ao lado, ad referendum da VIII Assembleia Geral da IPU.
 

Com o fundo azul claro (a tradicional cor da IPU), o eclesiano da IPU poderá discernir os seguintes componentes, pelo menos:

Arco-íris: a aliança de Deus, perdão e reconciliação (Gn 9:8-17).

* Três faixas no arco-íris: a Trindade: Pai, Filho, Espirito Santo.
Cruz céltica (da tradição Reformada): encarnação, morte, ressurreição de Jesus.
Arca: a Igreja (Gn 6: 14-16).
Ondas do mar: o mundo.

 

 

"Escreve a visão, grava-a sobre tábuas, para que a possa ler até quem passa correndo." Habacuque 2:2

  
    
  
igreja presbiteriana